Tipos de exame de sangue mais comuns



Tipos mais comuns


Os exames de sangue são comuns em diversos processos de diagnóstico e análises clínicas. Eles podem indicar a existência de muitas doenças e sintomas de possíveis enfermidades. No entanto, é difícil diferenciar os tipos de exames das análises clínicas. Vamos conhecer nesse artigo os mais comuns.

1. Hemograma


Trata-se do exame mais complexo, que é feito para obter informações sobre três principais linhagens das células do sangue. A análise dos glóbulos vermelhos é feita pelo exame das hemácias. Com ele é possível descobrir se há uma redução do número de células vermelhas. Dessa forma é traçado o diagnóstico de anemia.

A avaliação dos glóbulos brancos envolve o exame dos leucócitos, que são as células de defesa presentes no organismo. As análises clínicas da leucocitose indicam o aumento do número dessas células. Quando permanecem elevadas, há um processo infeccioso no corpo. O exame ajuda a avaliar se o paciente corre o risco de doenças como a pneumonia, por exemplo.

A terceira linhagem é das plaquetas, que são as células que realizam a coagulação do sangue. Quando essa coagulação é elevada, há um caso de trombocitose, e quando é diminuída há a trombocitopenia. A dosagem das plaquetas é feita antes de cirurgias e outros procedimentos que causam sangramento. A diminuição pode causar sangramento, e a elevação favorece a formação de trombos.

2. PTT ou TTP e TAP ou TP


Esses exames servem para calcular o tempo que o sangue demora para coagular. Ambos medem o curso de coagulação, que começa na ativação das plaquetas e termina pela ação dos fatores de coagulação. O processo é chamado às vezes de coagulograma. A sigla “PPT” e a “TTP” se referem ao tempo de tromboplastina ativada, e “TAP” e “TP” ao tempo de protrombina.

3. Colesterol


Serve para avaliar o HDL, que é o colesterol bom, e o LDL e VLDL, que é o colesterol ruim. O primeiro protege as placas de gordura e o segundo obstrui os vasos sanguíneos, levando o paciente a doenças como infarto. O exame também envolve os triglicerídeos, que estão relacionados ao VLDL.

4. Glicose


É feito para estabelecer o diagnóstico ou controle do tratamento de diabetes mellitus. Valores menores que 100 mg/dll são considerados normais. Um paciente com diabetes costuma ter valores acima de 126 mg/dll.

5. Sódio, Potássio, Cálcio e Fósforo


Esses exames possuem o nome de eletrólitos. Quando esses valores estão muito alterados, o paciente corre risco de morte.

6. Creatinina e ureia


O exame avalia a função dos rins. Para isso, calculam o volume de sangue filtrado por esses órgãos. Através dos valores de creatinina e ureia é possível saber se o paciente possui insuficiência renal. A interpretação do médico é essencial, pois os valores de creatinina que são bons para uma pessoa não são para outra.

7. Ácido úrico


O ácido úrico é o metabólito que é obtido quando certas proteínas do organismo realizam a metabolização. Com esse exame pode-se diagnosticar cálculo renal, gota e doenças cardiovasculares e relacionadas à hipertensão.

8. TGO (AST) TGP (ALP)



O exame serve para avaliar o fígado, sendo essencial para descobrir se o paciente possui algum tipo de hepatite. Altos valores indicam que as células hepáticas estão lesionadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário